Outras Áreas de Atuação - Grupo VISION

Outras Áreas de Atuação

A Empresa > Áreas de Atuação

Alimentos
Biocombustível
Cimento
Logística
Papel e Celulose
Química e Petroquímica
Saneamento

ALIMENTOS

O segmento de alimentos é marcado por uma grande variedade de indústrias e setores, sendo as indústrias de bebidas e as de produtos alimentares suas principais subdivisões.

A Indústria de Bebidas é bastante significativa no Brasil. Atingiu, em 2008, um faturamento líquido de 38,9 bilhões de reais.

A Indústria de Produtos Alimentares alcançou 230 bilhões de reais de faturamento líquido em 2008. A seguir o ranking dos seus principais setores (em valor):

  1. Derivados de carne
  2. Beneficiamento de café, chá e cereais
  3. Óleos e gorduras
  4. Laticínios
  5. Derivados do trigo
  6. Derivados de frutas e vegetais
  7. Açúcares
  8. Diversos
  9. Chocolate, cacau e balas
  10. Conservas de pescados

Outro importante aspecto do segmento de alimentos é que as micros e as pequenas empresas são responsáveis por mais de 90% de todo o seu faturamento.

Fonte: Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação

↑ topo



BIOCOMBUSTÍVEL

O Brasil possui uma matriz energética com significativa participação de energias renováveis, tendo acumulado importante experiência na produção de álcool como combustível. A ampliação dessa participação na matriz, a partir do desenvolvimento de biocombustíveis, propicia a oportunidade de executar políticas, de cunho social, ambiental e econômico, além de alinhar-se com ações de caráter estratégico no âmbito internacional.

No contexto dessas diretrizes, a agroenergia abrange quatro vertentes principais: álcool, biodiesel, florestas energéticas cultivadas e resíduos agroflorestais.

 

É bom notar que existem inter-relações entre esses segmentos, como o uso do etanol para a produção de biodiesel, a cogeração de energia elétrica com resíduos da produção de álcool, ou o aproveitamento de resíduos de biomassa florestal.

A projeção do potencial da agroenergia no Brasil, para os próximos 30 anos, vislumbra a possibilidade de produzir mais de 120 milhões de toneladas equivalentes de petróleo (tep), anualmente, o que significa quase dobrar a oferta atual, estimada em 57 milhões de tep. Entretanto, a consecução de metas ambiciosas na agroenergia pressupõe investimentos ponderáveis em logística (transporte e armazenamento).

Fonte: Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis

↑ topo



CIMENTO

O Brasil encontra-se na 10ª posição em produção mundial de cimento, sendo o maior produtor e consumidor da América Latina. O ranking é liderado pela China, seguida por Índia e Estados Unidos (dados de 2007).

A indústria do cimento engloba atividades de extração e beneficiamento de matérias-primas minerais.

A partir de um processamento bastante homogêneo, uma vez que há poucas variações de tipos de produtos, o cimento é constituído por uma mistura de calcário com argilas, extraídos das pedreiras, além de outros aditivos. O processo de fabricação envolve as seguintes etapas:

  • Britagem: a argila e o calcário, extraídos em forma de blocos, são britados de modo a terem seu tamanho reduzido a uma granulometria adequada;
  • Dosagem: de acordo com a qualidade desejada do produto final, as matérias-primas são dosadas, sendo a proporção de calcário e argila definida de acordo com parâmetros químicos pré-estabelecidos;
  • Moagem do cru: a mistura dosada é moída. O processo de moagem consiste na entrada dos materiais dosados em um moinho de bolas ou rolos, no qual a moagem ocorre com impacto e por atrito. Simultaneamente à moagem, ocorre um processo de adição de outros materiais, de forma a obter as quantidades pretendidas dos compostos que constituem o material cru;
  • Clinquerização: o composto obtido da moagem é cozido a altas temperaturas em um forno rotativo e, em seguida, bruscamente resfriado com ar frio em contra corrente, transformando-se em um produto intermediário chamado clínquer, material básico de qualquer cimento;
  • Moagem e adições: as pedras de clínquer são submetidas a uma moagem fina, onde devem ser asseguradas granulometrias apropriadas para qualidade do cimento, com adição de um material chamado gipsita, além de outro constituintes, que variam de acordo com o tipo de cimento a ser fabricado. Tais aditivos podem ser calcários, cinzas, sílicas, escórias de alto forno, dentre outros. O material resultante deste processamento já é o cimento;
  • Estocagem, embalagem e expedição: o cimento pronto é transportado para silos de estocagem, onde é ensacado e, por fim, expedido para os pontos de consumo.
Fontes: Associação Brasileira de Cimento Portland; Empresas do Setor

↑ topo



LOGÍSTICA

O segmento de Logística abrange o transporte e o manuseio de diferentes produtos industriais.

Entre os transportes, destacam-se:

  • Rodoviário: devido, em grande parte, à priorização histórica do governo brasileiro em relação a este tipo de transporte, com a construção de estradas e incentivos às empresas automobilísticas, o modelo rodoviário prevaleceu em relação a outros e hoje corresponde a mais de 60% de todo o transporte de carga realizado no país;
  • Ferroviário: os trens são particularmente direcionados para o transporte de carga de baixo valor e grande volume como, por exemplo, minérios, produtos siderúrgicos, fertilizantes, dentre outros.  No Brasil, as ferrovias são responsáveis por, aproximadamente, 20% do transporte de cargas;
  • Hidroviário: o transporte marítimo é consideravelmente predominante sobre o transporte fluvial, cobrindo a maior parte das matérias-primas básicas destinadas à exportação. No Brasil, o transporte de cargas por via aquática corresponde, aproximadamente, a 14% do total;
  • Dutoviário: embora corresponda a apenas 4% do transporte de cargas no Brasil, o transporte de mercadorias feito através de dutos pode ser considerado o mais seguro e eficiente modo de deslocamento de cargas, desempenhando importante papel, sobretudo, em transportes de longa distância. Destacam-se os transportes de gases, óleos e minérios por este tipo de estrutura;
  • Aeroviário: o transporte aéreo de cargas possui custo elevado e capacidade reduzida em relação a outros tipos de transporte, sendo comumente reservado para mercadorias de alto valor agregado e baixo volume. No Brasil, os aviões são responsáveis pelo deslocamento de menos de 1% da carga total.

Manuseio de Materiais

 

Fonte: Empresas do Setor

Conheça os casos de sucesso deste setor.

↑ topo



PAPEL E CELULOSE

A indústria de papel e celulose apresenta grande importância no cenário econômico brasileiro, sendo o cenário mundial marcado por intensas competições por mercados e investimentos.

O setor possui uma cadeia de produção bastante complexa, abrangendo as etapas de reflorestamento, produção de madeira, produção de celulose, produção de papel, conversão do papel em artefatos e reciclagem.

A tecnologia atual de produção do papel e da celulose possibilita que as indústrias deste setor apresentem altos volumes de produção.

 

Fonte: Empresas do Setor

Conheça os casos de sucesso deste setor.

↑ topo



QUÍMICA E PETROQUÍMICA

Com alto grau de desenvolvimento científico e tecnológico, a indústria química é responsável por transformar elementos presentes na natureza em produtos úteis ao homem.

A indústria química é um dos mais importantes e dinâmicos setores da economia brasileira (terceiro maior setor industrial do país), apresentando um faturamento líquido, em 2008, de US$122 bilhões, dos quais mais da metade é devida a produtos químicos de uso industrial.

A indústria química brasileira ocupa a 9ª posição no ranking mundial e o Brasil figura como grande importador e exportador de produtos químicos.

Dentre as principais aplicações dos produtos químicos, destacam-se: tratamento de água, agricultura, saúde animal, construção civil, automóveis e informática.

Os segmentos que compõem as atividades na indústria química podem ser assim classificados:

 

 

Indústria Petroquímica

A indústria petroquímica faz parte da indústria química e é caracterizada por utilizar um derivado do petróleo (nafta) e o gás natural como matérias-primas básicas. No entanto, muitos produtos chamados petroquímicos, como, por exemplo, o polietileno, podem ser obtidos tanto a partir dessas matérias-primas como a partir de outras, como o carvão ou o álcool.

É importante destacar que o refino de petróleo e a indústria petroquímica representam setores industriais distintos (o refino do petróleo é parte da Indústria de Petróleo, a petroquímica é parte da Indústria Química). Em geral, entende-se que a atividade petroquímica tem início com a produção de eteno e seus co-produtos, bem como de outros derivados de nafta ou do gás natural, de fins industriais.

Fonte: Associação Brasileira da Indústria Química; Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão

↑ topo



SANEAMENTO

O saneamento básico pode ser considerado um conjunto de medidas que visam preservar ou modificar as condições do meio ambiente com a finalidade de prevenir doenças, promover a saúde, melhorar a qualidade de vida da população e facilitar a atividade econômica.

Destacam-se entre essas medidas o abastecimento de água e a disposição do esgoto. Os empreendimentos fundamentais são as chamadas estações de tratamento:

 

Fontes: COPASA; SABESP

Conheça os casos de sucesso deste setor.

↑ topo